Autor: Andre Naves

person dropping paper on box

Os Riscos do Voto Útil

A Democracia não é apenas a vontade da maioria representada pela acrítica soma dos votos. Ao contrário, ela é a vontade da maioria, temperada pela dignidade das minorias, sempre com a finalidade precípua de concretização dos Direitos Humanos. Estes, decorrentes do direito à Vida, à Liberdade, à Propriedade, à Segurança e à Igualdade, podem ser resumidos na noção efetiva de equalização de oportunidades entre todas as individualidades.

LEIA MAIS

A Rainha Inclusiva e o Rei Verde

“ABC, ABC, toda criança tem que ler e escrever.” —  Pelé

A vida humana é permeada de simbolismos. Esses, por sua vez, podem ser encontrados nas nossas mais diversas experiências. Exemplo disso é a peça teatral shakespeareana “Ricardo III” em que o protagonista é uma pessoa com deficiência extremamente cruel, sanguinária e cheia de contradições. Com isso, William Shakespeare, mediante o uso cultural e poético das palavras, evidenciou o óbvio: assim como toda pessoa, aquelas com deficiência também são humanas e, portanto, passíveis de todos os vícios de caráter que afligem a sociedade.

LEIA MAIS

Bandeira do Brasil

O Pavilhão Nacional simboliza o Brasil. É marca do povo, de todos aqui nascidos, estrangeiros, ou que, de qualquer maneira, contribuam com o engrandecimento nacional, mantendo conosco laços de afetividade e admiração. A bandeira do Brasil, como símbolo máximo da pátria, é inclusiva, não admitindo usos sectários ou exclusivistas por qualquer parcela do povo brasileiro ou ideologia política.

LEIA MAIS

Saco vazio não para em pé!

Como vovó já dizia: “Saco vazio não para em pé”!

            Dentre as inúmeras áreas em que as políticas públicas brasileiras são precarizadas e impulsionam, assim, o crescimento da desigualdade social, a Educação (em especial a infanto-juvenil) assume caráter de primazia absoluta. Em outras palavras, a Educação, que é a mais importante estratégia para o equacionamento de nossas mazelas sociais, vem sendo, cada dia mais, desmontada pelas absurdas políticas do atual governo.

leia mais
person holding a vote sign

A Democracia é necessária para a Inclusão!

Ainda que permeada de superáveis falhas e ineficiências, a Democracia constitui a melhor forma político-governamental existente. Mas, qual seu conceito? Pois bem, o Estado ao assumir a conformação Democrática e de Direito privilegia a vontade da maioria, respeitando as dignidades minoritárias, sempre com o objetivo final de ampliar e concretizar os Direitos Humanos. Eles constituem as garantias vinculadas à essência de cada ser humano, sendo decorrentes, de acordo com nossa Constituição Democrática, dos nossos 5 direitos fundamentais: vida, liberdade, igualdade (entendida como igualdade de oportunidades), propriedade e segurança.

leia mais

Talks Culturais – Acessibilidade, Diversidade e Inclusão | Cid Torquato entrevista André Naves

Você já se perguntou como aplicar ESG?

No “Talks Culturais Acessibilidade, Diversidade e Inclusão” teremos Cid Torquato entrevistando André Naves, Defensor Público Federal especializado em Direitos Humanos, Inclusão Social e Economia Sustentável, e mediação de Débora Goldzveig.

O tema da live será “Como aplicar ESG Environmental, Social, and corporate Governance?”

LEIA MAIS

Trabalho e Inclusão

O trabalho é um direito da pessoa, em especial daquelas com deficiência, já que seu exercício possibilita a concretização das capacidades individuais e, assim, das dignidades coletivas e sociais. Ou seja, todo indivíduo, pessoa com deficiência ou não, possui esse direito enquanto garantia de satisfação da sua identidade. É o mesmo que se falar que o trabalho é necessário à realização individual.

LEIA MAIS

Matéria Portal: Siderurgia Brasil – Brasil: Potência da energia verde

Confira a matéria que saiu na mídia, Revista Siderurgia Brasil – GRIPS Editora – ANO 23 – Nº 157 – junho de 2022:

Humor Inclusivo

Existem pessoas sem talento, mas que movidas pela ignorância, pela arrogância e pela ambição, tentam chamar a atenção fazendo piadas e comentários estranhos que somente reforçam os preconceitos presentes na sociedade. Ou seja, ao invés de trabalharem e buscarem desenvolver suas capacidades humorísticas, esse tipo de gente medíocre reforça as barreiras limitantes existentes entre nós, e tenta ganhar audiência e dinheiro com vários comentários detestáveis.

LEIA MAIS
boy eating a cookie

Pessach é a Festa da Inclusão!

Ainda que me faltem condições e autoridade para discorrer sobre o tema, já que toda a tradição e sabedoria culturais judaicas foram-me castradas violentamente pelos tribunais inquisitoriais, além de sepultadas pelas poeiras dos séculos e do olvido, arriscar-me-ei a tecer um singelo e humilde comentário acerca de um pequeno, mas fundamental, aspecto da simbologia trazida pela festividade de Pessach.

Pessach é a Festa da Liberdade e também da Inclusão!

É um lembrete perene, e daí sua necessária repetição, de que não há espaço para fermentação e expansão do “eu”. Ao contrário, nossa individualidade, a festa nos lembra, só se completa quando nosso “eu” se dissolve num harmônico “nós”. Ou seja, todos temos nossa essência individual que deve ser potencializada e celebrada, mas nossa dignidade só se perfaz coletivamente, com a pressuposição de que estamos todos juntos, em um mesmo caminho, e devemos cuidar uns dos outros.

Assim como o povo judeu, em sua jornada rumo a Jerusalém, era formado pelas mais diversas individualidades que, com suas diferentes capacidades, atuou mediante o cuidado coletivo mútuo de maneira a potencializar as características e possibilidades pessoais de cada um, nós, em nosso labor constante de aperfeiçoamento devemos buscar apoio nas melhores capacidades coletivas.

Nenhum de nós é tão pequeno que não possa contribuir. Nenhum de nós é tão poderoso que não precise de algum auxílio!

Somos diferentes, somos diversos, somos únicos. Somente com a união de nossas melhores capacidades conseguiremos, com sucesso, alcançar nossos objetivos finais! 

Chag Pessach Sameach!

ANDRÉ NAVES

Especialista em Direitos Humanos e Sociais.
Defensor Público Federal. Escritor, Palestrante e Professor. Conselheiro do Chaverim, grupo de assistência às pessoas com Deficiência. Comendador Cultural.
Colunista do Instituto Millenium, além de diversos outros meios de comunicação. www.andrenaves.com

man standing in front of people

A Inclusão Social se dá pelo Mercado

O livro “Trópicos Utópicos” de Eduardo Giannetti da Fonseca reúne diversos microensaios sobre a identidade brasileira, buscando aquilo que se possa chamar de brasilidade essencial. Aspectos artísticos, culturais, sociais, econômicos e tecnológicos são colocados em evidência, mas, assumem capital importância em nossa característica popular as questões relacionadas à desigualdade e à exclusão sociais.

LEIA MAIS
action automotive car employee

Trabalho Inclusivo

O trabalho pode ser encarado como sendo toda interação humana com a Natureza que visa ao aumento da dignidade social. Essa, por sua vez, é passível de ser entendida enquanto a possibilidade da busca por auto-realização. Ou seja, a dignidade social funda-se na igualdade real de oportunidades que busca a concretização das possibilidades essenciais a cada pessoa. 

LEIA MAIS
business people talking

Populismo e Insustentabilidade

Populismo costuma ser entendido como o conjunto de práticas e condutas políticas em que o líder da Nação estabelece uma relação direta, imediata e desinstitucionalizada com as massas populares, em contraste e contrapondo-se a uma suposta elite. Em resumo, o líder populista aposta no aprofundamento da conflituosidade entre os incluídos (“nós) e os excluídos (“eles”), transformando esse atrito em retórica justificadora de políticas públicas exclusivistas.

LEIA MAIS

“Greenwashing”

“Greenwashing” é conceituado como o resultado de procedimentos meramente cosméticos que não alteram a substância da insustentabilidade dos empreendimentos econômicos e sociais. Traduzindo, são mudanças na aparência das atividades, que passam a ser vistas como ambientalmente sustentáveis e socialmente adequadas, enquanto continuam com a mesmas práticas destrutivas e abusivas inalteradas.

LEIA MAIS

É possível quebrar barreiras tendo deficiência? PODSHOW: André Naves – parte 1

Confira a entrevista

Seja bem vindo ao Se Liga Mais. Aqui você vai ter conteúdos exclusivos sobre inclusão social, mentorias exclusivas com especialistas e dicas em geral sobre o mundo da inclusão. Esse é um lugar para VOCÊ! Seja muito bem vindo. https://se-liga-mais.alumy.com/​​ Se inscreva em nosso canal no Instagram e acompanhe todas as novidades por lá: @seliganainclusao Edição e gravação: @zotteproducoes

Páscoa: a libertação do “eu”

Pessach, a Páscoa judaica, nos relembra da importância da Liberdade e da Inclusão na travessia do deserto e do cativeiro até a Liberdade na “Terro de onde Jorra Leite e Mel”. A Páscoa cristã, a seu lado, como uma continuação dessa tradição, pode nos lembrar da libertação do deserto da morte, mostrando-nos o caminho à vida na Jerusalém celeste.

LEIA MAIS

Pessach é a Festa da Inclusão!

Ainda que me faltem condições e autoridade para discorrer sobre o tema, já que toda a tradição e sabedoria culturais judaicas foram-me castradas violentamente pelos tribunais inquisitoriais, além de sepultadas pelas poeiras dos séculos e do olvido, arriscar-me-ei a tecer um singelo e humilde comentário acerca de um pequeno, mas fundamental, aspecto da simbologia trazida pela festividade de Pessach.

LEIA MAIS

Carta Aberta aos Candidatos – Pessoas com Deficiência

Ao se avizinharem os debates eleitorais, torna-se imperioso o realce de certas temáticas que, ainda que gozem de importância e seriedade, são muitas vezes relegadas a uma posição de lateralidade. Trata-se de propostas eleitorais relativas às políticas públicas necessárias à inclusão e à promoção das capacidades das Pessoas com deficiência.

LEIA MAIS

Lula e José

José Lins do Rêgo, escritor paraibano e um dos pais da literatura regionalista brasileira, conta a história, em seu romance “Fogo Morto”, de um Engenho de Açúcar que, outrora próspero, entra em decadência até sua final falência (fogo morto é como se denominam os engenhos inativos). 

LEIA MAIS

Brasil: a Potência da Energia Verde

O Brasil concentra a potencialidade para se tornar o líder global na produção e desenvolvimento energético limpo. Entretanto, para que essa potência se concretize, necessário se faz que a sociedade civil lidere o país politicamente para patamares mais elevados de desenvolvimento efetivamente sustentável, em que o crescimento econômico seja pautado por um marco institucional impessoal e transparente que equalize as relações de poder e as desigualdades sociais. Ou seja, não há sustentação de qualquer desenvolvimento, a menos que sejam buscadas interações mais Livres e Justas na sociedade.

leia mais